Blog

Nesta página pode encontrar um pouco mais do meu trabalho enquanto psicóloga. Nela escreverei artigos dos temas da atualidade. Boas leituras!

Síndrome da Alienação Parental

O Síndrome da Alienação Parental surge quando existe uma tentativa consciente ou inconsciente por parte de um dos progenitores para alienar o filho ou os filhos relativamente ao outro progenitor. A SAP, é considerada um subtipo muito específico de Alienação Parental, que resulta da combinação da programação parental e das contribuições da própria criança. 

Ghosting: nova forma de terminar relações

A palavra ghosting advém da palavra ghost (tradução do inglês: fantasma). Refere-se ao ato de terminar um relacionamento amoroso, não respondendo às tentativas de comunicação do outro. Ou seja, quando a pessoa “desaparece em silêncio”, como um fantasma. Mas quem são estas pessoas que simplesmente desaparecem da vida de outra sem nenhuma explicação?

Medo do Abandono

A assustadora ideia da separação, da solidão e da dor que isso acarreta, pauta o dia-a-dia destas pessoas, gerando insatisfação, insegurança, baixa autoestima e infelicidade. A ideia de que não se é capaz de sobreviver sozinho (ou sem aquela pessoa em específico), é avassaladora, aumentando os esforços frenéticos para evitar o afastamento por parte do outro.

Melhorar as relações

As relações humanas são muitas vezes fonte de stress e dor emocional. Sofremos constantemente na relação com o outro, tendo este um poder sobre nós imenso. Vivemos frustrados porque os outros não correspondem às nossas expectativas, não conectam connosco da forma como gostaríamos ou olham para a vida de forma diferente da nossa. O que para nós é difícil de gerir muitas das vezes.

Aborto: viver o luto

O sonho de ser mãe, juntamente com a notícia da gravidez, traz associadas um grande conjunto de expectativas. Qual o sexo do bebé, o nome, o tipo de parto, o temperamento… À medida que as semanas e meses passam e a barriga cresce, estas expectativas vão aumentando, a presença de um novo elemento da família torna-se mais evidente a cada momento. A relação mãe-bebé é desenvolvida desde o primeiro momento e torna-se mais forte à medida que o bebé vai crescendo dentro da sua barriga.

Falhas e Perfeição

Todos sabemos que ninguém é perfeito e que “errar é humano”. Mas a verdade é que quando a falha é nossa é difícil de aceitar, dói, surge a culpa e a ansiedade. Mas porquê?
Estes sentimentos negativos estão intimamente associados às nossas crenças internas. Crenças sobre os defeitos e falha, sobre “o que eu deveria fazer“ e “como eu o deveria fazer” ou até “o que é que os outros esperam de mim”, e sobre o significado daquele comportamento que originou todos esses sentimentos. Acreditamos, mesmo que inconscientemente, que a falha ou o erro diz algo sobre nós, que nos define de alguma forma.

Sexta-feira 13 e o poder das expectativas

Existem entre 1 e 3 sextas-feiras 13 ao longo do ano, isto significa 1 a 3 dias de azar irremediável? Existem várias histórias e superstições em torno do número 13, que nos levou a enraizá-lo e aceitá-lo como “azarento”. Será que estamos mesmo a falar de 24h de azar ou será que estas consequências negativas são maioritariamente criadas pela nossa mente?

Insónias: ultrapasse este problema

A dificuldade em adormecer ou manter o sono é uma realidade conhecida por muitos portugueses e para além de ter como consequência uma baica qualidade de sono, tem consequência no nosso dia-a-dia. Os sintomas de insónia, podem ser dificuldade em adormecer, acordar várias vezes durante a noite, acordar cedo demais durante a manhã ou sentir que o sono não é reparador. Estes sintomas ocorrem em cerca de 30% dos adultos, os quais experimentam várias formas de sofrimento durante o dia tais como, fadiga, problemas de memória ou concentração, motivação reduzida ou risco aumentado de acidentes.

Impacto da Covid-19 na Perturbação Obsessivo-Compulsiva

De modo geral todos estamos preocupados com o impacto do Covid-19, com o nosso futuro, com a nossa saúde e possibilidade de sermos contaminados. Não é segredo que algumas doenças mentais parecem estar a aumentar a sua prevalência na população, as pessoas têm mais ansiedade e mais perturbações depressivas. No entanto há uma perturbação mental que está a ser afetada de forma direta pela Covid-19: a perturbação obsessivo-compulsiva.

Diferenças entre psicologia e psiquiatria

A psicologia e o papel do psicólogo continuam a ser muito questionados, e estas questões surgem na maioria das vezes, por falta de informação. Um dos papeis do psicólogo, é consciencializar a população, informando os demais. Daí o surgimento deste artigo, respondendo à dúvida de muitos: qual a diferença entre psicologia e psiquiatria na sua atuação clínica.

Outono e a Depressão Sazonal

A luz tem um efeito importante na regulação do nosso relógio biológico, controlando a produção de substâncias no nosso cérebro que nos permitem regular vários processos. Uma das hipóteses que relaciona a depressão com a baixa luminosidade, está relacionada com a baixa produção de serotonina, uma dessas substâncias que falava acima, associada à falta de vitamina D. A serotonina é um neurotransmissor, conhecida como a hormona da felicidade

Sobreviver ao trauma ou crescer com o trauma?

O estudo do impacto do trauma no ser humano não é recente, tendo obtido maior destaque depois da segunda guerra mundial, altura em que muitos sobreviventes de guerra desenvolveram a conhecido “Perturbação de Stress Pós-Traumático” (PSPT). O que a teoria e os livros de psicodiagnóstico nos dizem é que após uma experiência traumática, em que a segurança do sujeito é posta em causa, este, desenvolverá uma série de sintomas psicológicos adversos, no seguimento do forte impacto dessa experiência. Contudo, a maioria das pessoas, perante um evento traumático, recupera depressa os seus níveis de funcionamento e em muitos casos, até melhoram e crescem.

Stalking: a história de terror após o amor.

O Stalking é o termo utilizado para definir este tipo de comportamentos. A sua tradução seria “perseguição”, no entanto, o termo é usado na sua forma original. Ele diz respeito a uma forma de violência relacional através de um conjunto de comportamentos de assédio de carácter persistente. Podemos vê-lo nas suas diferentes facetas: comunicação, contactos, vigilância e monitorização de uma pessoa.

Como me tornei amiga da ansiedade

“Ela acompanha-me desde cedo, a ansiedade. Durante anos, nunca consegui compreendê-la, o porquê de ir comigo para todo o lado, o porquê de me bloquear, de me limitar. Só sentia o desconforto constante que ela causava e tentava afastá-la de mim a todo o instante. O meu objetivo principal era viver sem ela…”

Dependência emocional

Quando falamos em dependências, a ideia que surge na nossa cabeça está relacionada com adições químicas como a droga ou o álcool. Pode parecer até incongruente que algo relacionado com as emoções possa ter um impacto tão nefasto como uma droga. Mas a realidade é que pode ter, e é um problema mais comum do que parece.

O tabu do suicídio

Segundo os dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), publicados em setembro de 2019, estima-se que por ano 800000 pessoas morram por suicídio em todo o mundo.

Relação com o peso pós-quarentena

São inúmeros os post’s nas redes sociais que referem o ganho de peso referente aos últimos meses: “10 dicas para não engordar na quarentena”, “quarentena: o que deve fazer para não ganhar peso”, “Medo de engordar na quarentena?”, “Engordou na quarentena: o que fazer”… Neste artigo, vou tentar abordar alguns dos aspetos mais relevantes acerca do tema.

Os perigos da internet explicados

internet revolucionou muitas áreas da nossa vida. O número de utilizadores tem continuado a crescer, bem como o intervalo de idades dos mesmos. Através dela podemos aceder a uma vasta gama de serviços que realmente vieram facilitar a nossa vida. Contudo, o seu uso problemático tem-nos mostrado um lado negro desta ferramenta.

Co-sleeping: dormir com os filhos até quando?

O termo co-sleeping diz respeito ao ato de dormir próximo do seu filho, seja na mesma cama ou no mesmo quarto. Um conceito importante nas questões de parentalidade, uma vez que uma das dúvidas mais prevalentes em pais recentes é: até quando os filhos devem dormir connosco?

Infância: Sinónimo de felicidade?

Quando pensamos na palavra infância, quais são as palavras que surgem na nossa mente? Alegria, diversão, inocência, felicidade…? Mas serão as crianças assim tão imunes ao sofrimento? Parece que a tristeza e depressão não são compatíveis com esta fase da vida. Mas a verdade é que também as crianças podem sofrer de perturbações psicológicas como a depressão, mesmo que as manifestações sejam um pouco diferentes das dos adultos.

Gravidez na Adolescência

A gravidez, normalmente inesperada, torna-se um acontecimento marcante para estes jovens fazendo com que tenham de lidar com um conjunto de sentimentos inesperados e intensos onde as preocupações e medo têm um destaque central.

Emoções: controlá-las ou ser controlado por elas?

Na nossa sociedade, é cada vez mais comum ouvir-se falar de ansiedade e depressão: casos em que as emoções se apoderam da vida das pessoas. Uma das razões pelas quais isto parece acontecer cada vez mais, é o facto de atualmente vivermos sob muito stress, agitação, constantemente ativados pelas rotinas agitadas, trânsito, conflitos, excesso de trabalho e não possuirmos as ferramentas necessárias para lidar com estes desafios.

Quando os rituais dos pequenos nos preocupam- um olhar sobre a POC infantil.

A perturbação obsessivo-compulsiva ou POC, corresponde a uma disfunção neuropsiquiátrica que afeta grande parte da população. Em cada 100 pessoas, duas são afetadas pela perturbação, sendo que, é mais comum do que a maioria de nós imagina. Entre elas estão tanto adultos, como adolescentes e até crianças a partir dos 2 anos. É uma patologia que pode ter um curso relativamente breve ou tornar-se crónica, dependendo de muitos outros fatores. Contudo, em todas as situações é percetível o grande impacto no funcionamento social, académico, profissional e ocupacional que acarreta.

O luto na criança

Existe muitas vezes a crença de que este processo não se dá nas crianças, que as crianças não sentem a perda, “não sofrem porque não entendem”o que nos leva muitas vezes a desvalorizar o seu sofrimento. As crianças, quando perdem alguém significativo também passam por um processo de luto. Contudo, é natural, que quando esta se confronta com o falecimento de um ente querido, o luto seja diferente, porque tem formas de olhar e compreender este fenómeno diferentes das de um adulto.

Relações atribuladas com a comida

A alimentação tem um destaque muito grande na nossa vida e apesar de ser fonte de prazer muitas das vezes, pode também ser fonte de ansiedade e desconforto. Os problemas alimentares são cada vez mais comuns e podem ser de variados tipos, afetando tanto adultos como crianças e jovens.

Perturbação do Espetro do Autismo (PEA)

“O mundo assusta-me frequentemente porque todas as minhas perceções sensoriais entram de uma vez. Entram todos ao mesmo tempo e simplesmente não consigo diferenciá-los. Um estímulo pode ser tão forte que não consigo concentrar-me noutras coisas…”

Birras: como lidar com elas

As birras infantis não são simplesmente um indicador de mau comportamento, estas podem significar muitas coisas. A criança não tendo grandes competências de gestão emocional, vai utilizar os meios ao seu alcance para se expressar.

Enurese: O problema da cama molhada

O controlo dos esfíncteres dá-se quando há uma passagem de um comportamento automático para um comportamento controlado/voluntário. Aos 2/3 anos a maioria das crianças adquire o controlo diurno, sendo que o controlo noturno é adquirido entre os 3/5 anos. Contudo, apesar das diferenças normais entre as crianças, existem crianças em que a falta de controlo dos esfíncteres é considerada uma patologia, a esta damos o nome de Enurese.

Quando os filhos são os agressores

É comum ouvirmos histórias de maus-tratos infantis, de pais que batem nos filhos, de professores que maltratam os seus alunos, de educadores que negligenciam. Contudo, com alguma frequência o oposto acontece: os pais são as vítimas.

Autoestima: a importância das relações precoces

A autoestima diz respeito à avaliação que cada individuo faz sobre si próprio: um conjunto de perceções, avaliações, pensamentos, sentimentos e comportamentos. Esta autoavaliação é muito influenciada pelas interações nos primeiros anos de vida.

Primeiro dia de aulas

O primeiro dia de aulas do 1º ano é um dia marcado por diversas emoções para os pais e criança. A ansiedade está presente nos dois por motivos diferentes. A criança vai iniciar uma fase importante, vai entrar “na escola onde se aprende a ler e escrever”. Com estas novidades surgem associadas uma série de emoções, nomeadamente o medo. Aprenda como pode diminuir o impacto desta mudança.

Relações Saudáveis

Em qualquer relação, temos o direito de ser respeitados independentemente de sermos um rapaz ou rapariga, independentemente da idade, nacionalidade e origens culturais, temos o direito de dar a nossa opinião e estabelecer os nossos limites, tendo a liberdade de dizer “não” a qualquer coisa com a qual não concordamos, sem pressão do outro lado.

Aprender a ser Assertivo

Ser assertivo garante relacionamentos mais saudáveis, maior autoestima, maior facilidade de resolução de conflitos e menos ansiedade. Aprenda mais sobre como se tornar mais assertivo através deste artigo.

Falando de Medos

O medo é uma das emoções básicas que todos os seres humanos experimentam. Esta emoção tem um grande valor no que diz respeito à sobrevivência, pois prepara o corpo para enfrentar potenciais perigos. A vivência dessa emoção provoca uma grande ativação fisiológica, tanto em adultos como crianças, preparando o corpo para agir em caso de perceção de perigo, real ou imaginado. A esse processo dá-se o nome de “fuga ou luta”.

A Educação Perfeita Existe?

Parece haver uma necessidade cada vez maior dos pais tentarem ser amigos dos filhos. Isto acontece numa tentativa de estabelecer uma relação mais próxima, mas também de algum controlo, numa tentativa de aumentar a partilha no núcleo familiar. Mas até que ponto é que esta relação tão próxima é saudável para o desenvolvimento do próprio enquanto ser autónomo? Este debate já dura há muito, e as opiniões diferem. Contudo, todos concordamos: a tarefa de educar é dificílima e não existem pais perfeitos.

O meu filho não fala fora de casa

Há crianças que simplesmente não interagem com ninguém para além do núcleo familiar mais próximo, demonstram incapacidade de falar em situações sociais especificas em que se espera que falem apesar de o fazer noutras situações.

Contactos

saracruz-psicologa@outlook.pt

+351 910 192 161

Av. António Augusto de Aguiar, 148, 4ºC. Lisboa

Parcerias:

copyright © 2021 Sara Cruz- Psicóloga Clínica